terça-feira, 15 de julho de 2008

Folhas...

Tudo começa em uma folha em branco, o "era uma vez" já é mais que clichê. Passadézimo...
E assim, a cada passo que se dá, vai completando os espaços vazios. E de acordo atem-se mais em si e no mundo, vão se formando frases e parágrafos. Foi o máximo quando descobri que se colocasse alguém no meio disso tudo e falássemos, construiria um diálogo.
Diálogo, tá aí, palavrinha interessante. Fala de duas pessoas, intercaladas. De forma crescente rumo a algo, ou simplesmente palavras pro nada. Mas nunca sozinho. Retórico. Falar sozinho não é diálogo, é esquizofrenia. Não se tem dois, e personalidades extra não conta.
Nisso se respira, se sente. Preenche e viram-se páginas. Interage-se mais. Ou se fecha, vai do estilo que você decide seguir.
Brinca, ou leva-se tudo a sério demais, em preto e branco igual filme antigo. Alguns até sem som (sem diálogo).
Com passos, gestos, pessoas, diálogos, sentimentos, lembranças, coisas, oxigênio.
Misturando tudo num panelão e deixando ferver por tempo indeterminado, marcado pelo quando você vai durar, constrói-se o texto. Ou melhor, a vida.

2 comentários:

Kephas disse...

Vida sem diálogo não é vida...=P

Caio disse...

Traças...

(Pelo menos eu me cominico com vc quando vc atualiza essas coisas)